sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Cuba: Havana (DICAS)

Dia 19.11.2013 e lá fomos nós para Havana, capital de Cuba, terra do tio Fidel! O frio na barriga e a sensação de medo predominava, foram tantas as histórias que escutamos sobre a ditadura de Cuba. Foi nos dito que o choque seria grande, sair da paradisíaca Cancún para a "castigada" Havana não seria fácil. E realmente não foi. Devíamos ter feito ao contrário. Mas creio que se tudo tivesse corrido bem em Cuba, teria sido fantástico, mas pena que não foi assim.

Mapa da região caribenha, onde se localiza Cuba.

Mas antes de contar todas as desventuras, locais visitados e impressões, seguem algumas informações e dicas de Havana, Cuba.

Informações & Serviços

Fuso horário - 3 horas a menos em relação ao horário de Brasília.

Idioma - Espanhol

Código do país (DDI) - 53 (Habana: 7)

Telefone de emergência - 106

Moeda - Há dois tipos de moedas: o Peso Nacional Cubano, também denominado Moneda Nacional (MN), utilizado pela população local, e o Peso Conversível Cubano (CUC), valor de troca para turistas. Cada CUC vale 24 pesos cubanos, aproximadamente. É recomendável evitar sacar dinheiro dos ATM's cubanos, reza a lenda que eles costumam engolir os cartões.

Cotação/câmbio - 1 CUC = 2,33 BRL (cotação da época). As cadecas são casas de câmbio cubanas, realize as trocas de moeda nestas agências.

Gorjetas - Os cubanos não cobram gorjeta ou serviço, mas é esperado que você deixe algo para eles, já que as gorjetas que recebem por mês costumam superar o valor do salário mensal.
Embaixada Brasileira: Calle Lamparilla, 2 (4º piso), Havana Velha, tel.: 53 (7) 866-9051, e-mail embhavana@brasil.co.cu .

Voltagem e tomadas - A voltagem costuma ser de 110 volts, mas há algumas tomadas 220 volts. As tomadas são do tipo americano, com dois pinos planos de entrada, porém também é possível encontrar as do tipo europeu, com dois pinos redondos de entrada.

Transporte: Um caso a parte, veja abaixo os inúmeros meios de transporte da cidade:


Cubatáxi (855 5555) - Carros relativamente novos, com placas azuis. São oficiais, têm taxímetro e podem ser chamados por telefone. O preço é geralmente mais caro, mas para tudo há conversa na ilha de Fidel. Eles trabalham com três tarifas: aeroporto, noturno e uma mais em conta. A do aeroporto costuma ter preço fechado. O preço é CUC$ 0,50 por km rodado e o taxímetro começa a rodar com CUC$ 1,20.
Táxi comum - Carros comuns, de várias cores e placas a amarelas. Os carros ficam, geralmente, na frente dos hotéis e o preço pode ser negociado com o motorista. da região central de Havana, nenhuma corrida deverá custar mais do que CUC$ 6 para qualquer lugar da cidade. E isso é sério!
Almendrón - Tradicionais carros grandes e velhos com placas amarelas. Os almendrónes são as famosas caronas pagas de Cuba. São particulares  dizem que não podem transportar turistas, mas é comum aceitarem. Na cidade, passam pelas principais vias e fazem rotas fechadas (importante perguntar antes se ele vai até o destino desejado). Não é difícil de pegá-los e, geralmente, param nos pontos de ônibus. Em Havana, passam em ruas como a Infanta, la Rampa/23, malecón etc. A corrida nunca custará mais que MN$ 10 por pessoa. Se estiver em duas pessoas, CUC$ 1 é o suficiente.
Cocotáxi ou Cocomovil - Isso mesmo, um coco motorizado. É basicamente uma moto com uma carapuça de latão parecida com um coco. Suporta até tr~es pessoas e é um transporte caro. Geralmente, os motoristas querem cobrar por pessoa e não por corrida. Negocie.
Ônibus de linha - Custa MN$ 0,40 e passa pela cidade toda. Há, porém, um ritual a ser seguido para pegar o ônibus: quando chegar no ponto pergunte SEMPRE quem é o último da cola (fila, em espanhol), porque as pessoas ficam onde elas querem. É importante e é educado.

Alimentação - Abaixo, uma breve relação do que geralmente se come em Cuba, bem cmo uma tradução rápida com os principais ingredientes utilizados para auxiliar na hora das refeições:


Ingredientes
Calabaza: abóbora / Carne de Res: carne bovina, mas não espere filé mignon / Caucha: vagem / Cerdo: carne de porco / Chorizo: linguiça de porco com muita gordura / Frijoles: feijãoGuava: goiaba / Huevo: ovo / Jamón: presunto / Lechuga: alface / Malanga: inhame / Mojo: molho / Palomita: pipoca / Pimiento: pimentão / Plantano: banana (verde) / Pollo: frango / Pulpo: polvo/lula / Sandía ou Melón de Agua: melancia / Zanachoria: cenoura / Yuca: madioca
Pratos
Boliche: carne cozida, recheada com linguiça de chorizo e ovos. / Congri: arroz branco e feijão vermelho cozidos juntos. / Ensalada: salada que geralmente tem pepino, vagem cenoura e repolho. / Hamburguesa (con queso): sanduíche tipo hamburguer, com carne, tomate e pão. Moros y Cristianos: arroz branco e feijão preto cozidos juntos. / Pollo grillado: frango grelhado. / Sandwich: feito com um pão amanteigado recheado de fatias de bisteca, presunto, queijo, picles e mostarda. Geralmente é presenado na plancha. / Ropa vieja a la Cubana: cozido de carne (em Cubda, porco) com base de caldo de tomate. / Tapas: combinação de pequenas porções. / Tostones: banana (verde) amassada e frita. / Viandas Fritas ou Chicharritas: "viandas", na verdade, são legumes, mas na maior parte das vezes em Cuba são banadas verdes, salgadas e fritas como chips.

Hospedagem

Ficamos hospedados no Hotel Palacio O'Farrill, não o classificaria nem como ruim e nem como bom. Mais ou menos está de bom tamanho para ele. É um hotel histórico com um hall muito bonito, mas não passa disso.

Demos o azar de 3 quarteirões para todos os lados do hotel estarem em obras. Ruas todas quebradas com buracos enormes. Após pegar o táxi no aeroporto, o taxista nos deixou a 3 quadras do hotel. Estávamos com malas grandes e pesadas, daquelas retangulares de rodinha. E como estava tudo esburaco, tivemos que CARREGAR as malas com as mãos!!!

Ao percorrer as quadras, a sensação era que estávamos percorrendo um grande cortiço. E assim é a capital de Cuba, ao sair das vias principais e dos entornos dos monumentos e prédios históricos é essa a visão. Mas a cidade expira história e isso, por si só, encanta e faz valer a pena cada passo dado.


Rua em frente ao Hotel

Ao chegar no hotel, exausto e estressado, descubro que a reserva foi feita com data errada e que o quarto não estava mais disponível. Detalhe, a estadia já estava toda paga e a reserva foi feita com data de dois meses antes. Morri em mais US$ 250,00 por diária. #QueFaaaaaase 

ATENÇÃO: Não conte com internet nesse país para NADA!!! Alguns hotéis disponibilizam lan house para seus hóspedes por uma pequena fortuna para utilizar apenas 10 minutos. E, caso funcione o computador "pentium", a internet é extremamente lenta!

Depois de 2 diárias, o dinheiro ameaçou a acabar e partimos para o plano B: CASA DE FAMÍLIA. É super comum famílias oferecem quartos para hospedagem. São infinitamente mais baratos. E confesso, gostei MUITO. No começo senti um certo receio e até preconceito, mas depois de conhecer a família que nos hospedou, tudo mudou. Rolou até um arrependimento de não ter feito isso desde o primeiro dia. 

Algumas casas de família são autorizadas oficialmente pelo Governo Cubano para tal atividade, recomendo essas! O quarto era simples, mas foi todo arrumado e preparado para nos abrigar. O café da manhã preparado com muito carinho pela "mãe" era muito gostoso. As dicas e experiências relatadas por eles foram uma "atração" a parte.

Como essa postagem está ficando muito longa, deixarei as histórias mais interesses para as próximas. Até.