quarta-feira, 12 de novembro de 2014

MADRID


Dia 13/11/2012, depois de 10 dias viajando pela Itália, continuei minha Eurotrip 2012 pela Espanha para finalizar com chave de ouro. Para mim, a Espanha é o melhor país da Europa, aliás, do mundo! Nesse país estão as minhas cidades preferidas; Barcelona, Madrid e Ibiza. Um país que reúne história, cultura, agitação e diversão. Bem, parei de babar ovo da Espanha.



Fui de Milão para Madrid de avião. Chegando em MADRID, peguei o metrô do aeroporto e depois de algumas baldeações cheguei na Calle Arenal, rua onde localiza-se o hostel Los Amigos, onde que fiquei hospedado. Simpático, aconchegante e com uma excelente localização. Calle Arenal é o que há!

Quarto no Hostel Los Amigos

Como cheguei tarde no dia 13, minha jornada pela frenética capital espanhola começou no dia 14/11/2012, pelo seu coração, a Puerta del Sol. Este é o marco zero de Madrid; agitadíssima, vibrante e com uma pitada de caos. Neste dia tinham vários personagens infantis acenando para os turista que por ali passavam. No dia seguinte eu encontraria uma manifestação contra a política econômica do país, era a época que a Europa estava no auge da crise.


Chafariz na Puerta del Sol



De lá segui pela Calle de Postas até a Plaza Mayor, uma das mais lindas do país. Perdi algumas horas por lá curtindo os músicos e artistas de rua, o vai e vem nos cafés, a milagrosa calmaria no meio do agitadíssimo centro da cidade. Depois, depois conheci as vielas e becos dos arredores até chegar na Calle Mayor para seguir em direção à Catedral de Almudena.


Catedral de Santa Maria a Real de Almudena

Essa Catedral é a sede episcopal da diocese de Madri, sua arquitetura é uma mistura de vários estilos: neoclássico no exterior, neogótico no interior e neorromântico na cripta. A diferença desta catedral em relação às demais é a sua orientação norte-sul, sendo que o habitual é leste-oeste; isso foi fruto de sua construção em conjunto com o Palácio Real de Madri, que fica ao lado.

Palácio Real de Madri

Da Catedral segui para o Palácio Real, onde rola um cerimonial de troca de guarda para londrino nenhum botar defeito. Toda primeira quarta-feira do mês, às 11 horas, a Plaza de la Armería vira palco da Troca Solene da Guarda Real. Confesso que acho troca de guarda um saco e como não era a primeira quarta do mês, assisti a apresentação dos sentinelas do palácio vestidos com uniformes do século XIX, que ocorre a cada meia hora, em frente a Plaza de Oriente. Óbvio que entrei no Palácio e visitei as suas salas mega hiper super pomposas.

Plaza de España

Plaza de España

Como cada minuto numa viagem vale ouro, de lá segui para a Plaza de España, que é uma das mais importantes de Madri, de onde sai a Gran Via, principal artéria da cidade. No meio da praça tem um monumento a Miguel Cervantes, escritor do famoso livro Dom Quixote. Por isso as duas estátuas, uma de Dom Quixote e a outra de Sancho Pança, ambos montados em seus cavalos. 

Na Europa adquiri o hábito de sentar em bancos de praças e pensar na vida, ou às vezes nem pensar em nada mesmo, somente relaxar. Gastei algumas horas por lá, se não fosse a fome de 20 mendigos somalianos eu teria dado uma de Bruno e Marrone e dormido na praça. #PiadaSemGraça.





Uma vez "dominado" o centro de Madri, voltei para a Plaza Mayor e ataquei os bares de La latina, que fervem a partir do final de tarde. O Lamiak e o Txacolí, na Calle Cava Baja, são duas ótimas opções. E não deixe de provar os pintxos: frio (creme de gorgonzola com nozes numa espécie de bruschetta) e quente (foie gras com fruta).


FOTOS de Madri.




Como Madri não é uma cidade para um dia só, continua na próxima postagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário