domingo, 13 de julho de 2014

FLORENÇA

Dia 06.11.2013, finalizei Roma e na Estação de Trem ROMA TERMINI parti para Florença, em italiano Firenze. Me hospedei no PLUS Florence, um hostel bem localizado, aconchegante, com bom atendimento e alma jovem.



Florença é o berço do Renascimento, a cidade do despertar artístico do século XV, terra dos escritores Dante e Maquiavel e dos pintores-escultores Botticelli, Michaelangelo e Donatello, que transformaram a cidade em uma das principais capitais culturais do mundo. 

Com tantos artistas nascidos e vividos aqui, a cidade possui preciosos edifícios de arquitetura renascentista e muitas estátuas e monumentos espalhados pelas várias praças que formam o centro histórico - super compacto e facilmente percorrido a pé -, com suas ruas fechadas ao tráfego de veículos.

NOTA: Meses depois eu começaria a ler o livro INFERNO de Dan Brown que se passa grande parte em Florença, por causa do tema secundário, o escritor Dante Alighieri, autor de Divina Comédia.



Passear pelas praças da cidade, cruzar seus becos e vielas e visitar o mercado central é uma obrigação. 



Mercado Central

Depois do passeio, cheguei a Piazza San Giovanni onde está localizado o Bastittero di San Giovanni. Ao lado dessa Piazza, está a Pizza del Duomo onde fica a gigantesca Basílica di Santa Maria del Fiore, centro geográfico, quarta maior igreja da Europa e o edifício mais alto da cidade. A fachada dessa igreja é toda trabalhada em mármore branco, cor de rosa e verde-claro. A entrada é gratuita, porém, paga-se para subir até seu topo. Existe também um museu anexo à igreja.


Basílica Santa Maria del Fiore (Catedral de Florença)

 Restaurante na Pizza San Giovanni e Basílica Santa Maria del Fiori ao fundo



Se preparem para a alimentação, paga-se muito caro por muito pouco, assim como na Itália inteira. Bem, se isso é ser chique, acho que não curti muito essa parada não. Quando o garçom me entregou o prato de lasanha que pedi, não consegui disfarçar minha expressão de insatisfação. Só não perguntei se aquele prato era a amostra grátis porque não sei falar italiano. Ah, paguei uns R$ 40,00 pelo prato.

Bem ao lado da Catedral fica o Campanário de Giotto, uma torre de 84,75 metros que só é possível subir pelos 414 degraus no seu interior. E adivinha? Eu subi! #Cansativo reparem na minha respiração no vídeo abaixo.

Campanário de Giotto

Depois parti para a Piazza della Signoria, a praça principal de Florença, onde encontra-se o Pallazo Vecchio. Apesar de seu papel político ao longo dos ano, hoje o Palazzo Vecchio é, em sua maior parte, um museu. Vale a visita para checar os afrescos em paredes e tetos, as esculturas, as salas apresentadas com mobília original e sem falar da super vista que se tem lá de cima.

  Palazzo Vecchio

A próxima parada foi a Ponte Vecchio, um dos passeios mais gostosos de Florença. Construída em 1345, a ponta é cheia de joalheiras e antiquários. CUIDADO! Como em todo lugar do mundo existem vigaristas. Peguei um cara vendendo um colar de ouro 8 quilates alegando ser melhor que outro 24 quilates. Após dar umas boas risadas, dei um toque nas velhinhas.

Ponte Vecchio ao fundo   

Atravessando a ponte, do outro lado do Rio Arno, é possível reparar os inúmeros Pinóquios à venda. Seu criador, Carlo Lorenzini, nasceu em Florença.



E nada nada melhor para fechar o dia em Florença que assistir ao pôr do sol no Mirante Piazzale Michealangelo. A galera normalmente se reúne aqui no fim do dia para ver o sol caindo sobre Florença, lugar perfeito para tirar aquela foto panorâmica clássica da cidade.


***

No dia seguinte, 07/11/2012, aproveitei para explorar a parte artística da cidade. Existem dois principais museus em Florença, um deles é a Galleria dell'Accademia, que é a escola de belas-artes fundada em 1953 e tem como principal obra a colossal escultura de Davi de Michaelangelo, com seus 5,16 metros de altura. Inicialmente a escultura ficava na Piazza della Signoria, mas em 1873 foi transferida para a Galleria para ser melhor conservada. Hoje, na Piazza, encontra-se uma réplica.


Piazza della Signoria

E o segundo grande museu é a Galleria Uffizi, que é o maior museu de arte da Itália, com uma grande coleção de esculturas greco-romanas e pinturas florentinas, do Gótico ao alto Renascimento. Seu ponto alto é a famoso pintura "O Nascimento de Vênus" de Botticelli.


O Nascimento de Vênus, de Botticelli.

O ideal é tentar comprar o combo das entradas para museus, se puder comprar antes melhor ainda porque as filas não são nada agradáveis. Para variar, tirei poucas fotos.




E aqui deixo o relato de um dos lugares mais incríveis que já conheci e que pretendo um dia voltar. Até breve Florença!


Nenhum comentário:

Postar um comentário