sexta-feira, 26 de julho de 2013

Roma: Andar, Andar e Andar

Dia 04 de novembro de 2013, o dia foi reservado para explorar uma região de Roma que me é bastante familiar, por conta do livro e do filme homônimo Anjos e Demônios. A primeira parada foi na Piazza del Popolo, ou Praça do Povo. Local de importantes acontecimentos. Na igreja de mesmo nome foi onde o imperador Nero morreu e está sepultado.


Praça do Povo (Piazza del Popolo)

Aproveitei para visitar uma exposição de réplicas de obras do Leonardo Da Vinci. Pude concluir que o cara era muito louco, assim como todo gênio. Confesso que foi legal ir à uma exposição que não tivesse apenas quadros. rsrs 





De lá parti para a Piazza di Spagna, outra famosa praça da cidade. Mas como não tinha ideia da distância resolvi alugar um Segway, foi muito divertido apesar de não ter sido a melhor ideia porque não me deixou à vontade para apreciar os demais lugares, além do horário curto (1 hora) para voltar à Praça do Povo para devolver o diciclo.




No centro da Piazza di Spagna está a famosa fonte conhecida como La Barcaccia, de Bernini. Ainda na praça, suas escadarias me levaram à Igreja de Trinitá dei Monti.


La Barcaccia

Igreja de Trinitá dei Monti

A próxima parada foi a famosa Fontana di Trevi. A maior fonte barroca da Itália está situada no cruzamento de três ruas e era ali onde desembocava um aqueduto de águas límpidas que alimentou Roma por mais de 400 anos. Claro que não esqueci de jogar uma moeda e fazer um pedido!







Fontana di Trevi

Claro que tive que praticar um arremesso a longa distância porque ainda estava com o diciclo e não poderia deixá-lo largado para me penetrar na multidão para atirar a moeda de mais perto.

Depois de devolver o diciclo e comer algo pela redondeza lotadas de restaurantes e lojas caríssimas fui para o Pantheon, um tempo erigido para homenagear todos os deuses, fossem eles quais fossem. É um marco romano e encontra-se bastante conservado. Dentro do Pantheon cenas do filme inspirado no livro de Dan Brown foram gravadas, lembra? #Claraboia



Pantheon 

O lugar é gigantesco e irado. Confesso que, por ignorância, esperava ver estátuas enormes de Zeus, Netuno etc., mas depois pesquisei e o Panteão foi transformado em um templo Cristão no século VII. No vídeo abaixo eu estou totalmente perdido procurando os deuses gregos. #MuitoRetardado





Para quem ainda tiver pique, seria legal caminhar até a Piazza Navona, mais uma das inúmeras praças Romanas. E em seguida visitar o Castel Sant'Angelo após passar pela famosa Ponte de Sant'Angelo. De seu terraço superior tem-se uma magnífica vista do rio Tibre, dos prédios da cidade e até mesmo do domo superior da Basílica de São Pedro.


FOTOS da visita à Roma.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Partiu Itália!

Depois de quase um ano sem viajar para fora do país, decidi fazer minha primeira viagem sozinho. De cara, posso dizer que não curti viajar só, mas os lugares que visitei valeram por si só. Para variar fechei minha viagem com a A Bordo e os destinos escolhidos foram Itália (Roma, Veneza, Florença, Pisa e Milão), Vaticano e Espanha (Madri e Toledo).



01 de Novembro de 2013, às 23:50h., peguei o voo da Ibéria (o mais barato na data) com destino a Roma.




Fuso horário: 3 horas a mais em relação a Brasília
Idioma: Italiano - Código do país (DDI): 39 - Moeda: Euro
Telefones de emergência: Polícia: 113 / Ambulância: 118 / Bombeiros: 115
Ligação a cobrar para o Brasil via Embratel: 800 172 211
Consulado brasileiro: Via Santa Maria Dell'Anima, 32 / (00xx39 06) 688-9661 
Gorjetas: Se o serviço não estiver incluído na conta, a regra geral é dar 10% para táxis, bares, cafés e restaurantes.
Voltagem e Tomadas: A voltagem na Itália é de 220V. Assim como em quase toda a Europa as tomadas possuem 3 pinos, mas você também poderá encontrar tomadas de 2 pinos.


Após uma parada em Londres para fazer uma escala cheguei ao Aeroporto Internazionale Leonardo da Vinci di Fiumicino depois de mais ou menos 13 horas de viagem. Lá procurei pelos ônibus da Terra Vision (ou qualquer outra companhia com a saída mais próxima) e fui em direção ao Rome Termini Station. É incrível como os meios de transportes da Itália funcionam bem. 

Depois de uma viagem cansativa, me hospedei no The Yellow Hostel, que fica bem próximo ao terminal. Como já entrei na casa dos 30 anos, não tenho mais vibe para dividir quarto, então, reservei um quarto só para mim. Desse jeito mantenho minha privacidade e tenho fácil acesso a alma jovem e divertida da cidade. Este hostel, assim como a maioria dos bons hostels, possui um bar na recepção. E além disso, o atendimento é excelente e as acomodações são ótimas.

Mas minha "aventura" só começou mesmo no dia seguinte, 03-11-2012, onde visitei o monumental Coliseu, o famoso anfiteatro, marco do Império Romano. Foi eleito em 2007 uma das novas 7 Maravilhas do Mundo Moderno. O ingresso custa aproximadamente 17 euros e dá direito a visitar também o Palatino, uma das 7 colinas de Roma e o Fórum Romano, o principal Centro Comercial da Roma Imperial. 

Tenha sempre em mente, todos os ingressos que for comprar tente averiguar se não existe um "ingresso combo" porque os passeios saem bem mais baratos.

Coliseu:

Clique na foto para ampliá-la. 

 Arco Constantino ao fundo.


Mais uma coisa ruim de viajar sozinho, não tem ninguém para bater foto para você. E é um saco ter que pedir aos outros o tempo todo.

A vista do Palatino é irada, de lá consegue-se ver grande parte de Roma.







Depois do almoço eu visitei outra das 7 colinas de Roma, o Monte Capitolino (ou  em Italiano, Campidoglio). Neste monte encontram-se monumentos e construções belíssimas da época dos imperadores Julio César e Tarquínio.




Em seguida dei um pulo no Mercado Trajano, o que pode ter sido o primeiro shopping coberto do mundo (sua construção foi datada nos anos de 107 e 110 dc). Dei uma olhada por fora e pelo que consegui ver não é nada demais. Por ter que pagar para entrar, não entrei.




E aproveitei para visitar o Monumento a Vittorio Emanuele, que foi construído em honra a Vítor Emanuel II da Itália, primeiro rei da Itália unificada e considerado o pai da pátria italiana. Em 2007, um elevador panorâmico foi instalado permitindo aos visitantes ir ao teto e ter uma visão 360º de Roma. O lugar é demais.




NOTA: Eu viajei em novembro, inverno na Europa, e para quem não gosta de frio não aconselho. Passei um perrengue com o frio, um sacrifício para sair da cama, tomar banho ou sair à noite. Melhor época é no meio do ano, principalmente julho, porque além de ser verão, o pôr do sol só acontece por volta das 21:30h., assim dá para aproveitar muito mais o dia.

Roma, assim como todas as outras cidades da Itália, é um lugar para apreciar a história e comer bem (e pagar caro). Não espere muitos lugares badalados ou animação por lá. O povo é bem frio, beirando a má educação.

As fotos da viagem da cidade de Roma estão no álbum Roma. Mas esse só foi o primeiro dia. 


:-)