domingo, 25 de julho de 2010

Paciência tem limite!

Ou o Frango é muito azarado ou os policiais daqui são uns FDPs!!! É só o Frango entrar no carro e andar meio quilometro que já vem um policial corrupto (pleonasmo) parar o carro e pedir a carta de motorista e o passaporte. Eles são sedentos por gasosa (propina), inventam qualquer desculpa esfarrapada para parar o carro na ânsia de encontrar alguma irregularidade. E vocês acham que mesmo regular eles deixam de pedir um dinheiro para o café ou para comprar um pão? (É isso mesmo, são essas palavras que eles usam). Vocês devem lembrar das primeiras semanas do Frango aqui, né? Não mudou muita coisa.



Chega ser engraçado ver o Frango falar com os policiais... claro que da milionésima vez realmente é de se ficar puto! Até eu já fico, que nem carro tenho! Isso me lembra quando fomos ao Mussulo (post anterior)... na hora de ir embora meia dúzia de angolanos (entre 15 e 20 anos) cercaram o carro pedindo dinheiro, chegaram a ameaçar quebrar o retrovisor, colocaram os braços para dentro do carro pelo pequeno espaço quando o Frango abriu a janela.... nós fomos OBRIGADOS a dar dinheiro (400 kwanzas)... um daqueles FDPs chegou a dizer que tinha que dar 2000 kwanzas. Eu ri na cara dele e disse que 400 estava bom ate demais. Vocês reclamam dos flanelinhas, né? Vocês são felizes e não sabem... que ódio broder, vontade de atropelar todos eles.

Outro hábito peculiar é a boléia (carona), é muito comum ver os angolanos nas ruas fazendo o sinal de carona... no começo me perguntava se existia algum louco que parava o carro e dava carona. Me esqueci que não estou no Rio... se é no Rio no mínimo o bom samaritano ficaria sem as roupas, a carteira, o carro e ainda de quebra corria o risco de ser estuprado. O Rio é foda! Isso ninguém barra! hahahha

Deixo aqui minha indignação contra os policiais corruptos de todo o mundo! E contra os flanelinhas também!

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Ilha do Mussulo

Então... como falei no post anterior, no domingo fui conhecer a tão famosa Ilha do Mussulo. Ilha é um pedaço de terra cercado de água por todos os lados, certo? Errado! Aqui em Angola, basta ter um monte de água em dois lados para virar uma ilha… 



Mussulo é uma ilha que não é bem uma ilha. Apesar do caminho mais fácil e mais usado para se chegar seja o barco, a Ilha do Mussulo é um braço de mar. Não sei porque chamam de ilha, mas enfim a Ilha de Luanda também não é uma ilha.

 
Dizem que lá é o point das Patricinhas e Mauricinhos aqui de Angola, mas só vi um monte de chineses esfomeados por todos os lados. O lugar é cheio de casões e bares com espreguiçadeiras na areia. Mussulo, apesar da áurea fashion que se dá ao lugar, também tem a poesia da simplicidade de Angola. Não é difícil encontrar mulheres vendendo panos com sua roupas coloridas e aquele sorriso tão característico dos angolanos. Pescadores e crianças correndo pelas areias completam o cenário bucólico da ilha. E claro não poderia terminar o dia sem o pôr-do-sol.



Nós ancoramos no restaurante Sonho Dourado (lugar simples, agradável e bonito). O atrativo do local são as lagostas, carangueijos e camarões gigantes, gastei $ 7.750,00 kwanzas (R$ 137,32). Que vontade de matar o cozinheiro, a lagosta parecia que saiu do mar direto pro meu prato! Cadê o tempero porra? 



O carangueijo muito ruim, não lembro se eu nunca gostei ou se lá é que estava ruim mesmo. O camarão que tinha o tamanho de um rato estava bom. As ostras (esqueci o nome) ainda estavam cheias de areia. 




E o sol? O FDP sumiu durante o passeio inteiro! Até foi bom, imagine ver a galera em trajes de banho! Melhor sim! hahahahhaha. Comprei uma mesinha (ou banco, ainda não consegui identificar), feita pelos artesãos locais, maneira. Custou 60 dolares (acredite, para a cidade mais cara do mundo isso é muito barato!).

Depois do almoço, descansamos um pouco... uma hora depois um maluco (maluco mesmo!) aqui da equipe resolveu jogar futebol com os chineses. Golzinho. Brasileiros versus chineses. No meu time; Frango e Alexandre. Nem preciso dizer que perdemos de lavada, a partida durou menos de 10 minutos. Eu quase morri de tão cansado (jogar na areia é foda). O Alexandre chegou a vomitar... hahahahahhahahaha. O único que jogou legalzinho, não ficou cansado e até fez gol foi o Frango (pra surpresa da galera, hahaha).

Uma chinesa que estava na torcida até ofereceu maconha para gente, é mole!? Ah... esses chineses só conversavam em inglês! Imagine um brasileiro (eu) tentando se comunicar em inglês com uma chinesa, MIMICA!

OBS: Mãe, fique calma! Eu não aceitei a maconha!

hahahahahahhaha



Mas valeu a diversão com a galera!! Postei todas as fotos no picasa!

terça-feira, 13 de julho de 2010

Experiência de Quase-Morte

Ontem o trajeto do hotel para o trabalho e vice e versa foi uma maravilha, 40 minutos. Mas hoje... levei duas horas para chegar ao trabalho e com fortes emoções. O fato das estradas terem crateras que poderiam engolir um porco, dos angolanos fecharem uns aos outros e transformarem o trânsito num caos, dos guardas de trânsitos serem incompetentes e só estarem interessados na gasosa (proprina), dos pedestres atravessarem as ruas no meio do trânsito com a maior naturalidade e a nuvem de poeira que as estradas tem não me assustam.



Mas o fato do motorista da empresa ser louco, isso me assusta muito. O cara entrou na contramão sem perceber devido ao estresse do engarrafamento... e continuou nela mesmo depois de alertá-lo... e adivinha quem estava no banco da frente?! Dou uma das várias barras de chocolate suíço que tenho no frigobar do hotel para quem adivinhar! 

Cara, eu vi a morte passando por mim várias vezes, quase coloquei o passaporte na boca para facilitar a identificação do corpo. Não satisfeito de estar na contramão de uma rua reta o louco entrou na contramão de um retorno e logo quando um caminhão estava entrando, neste momento dei graças a Deus de ter todas as minhas pregas... senão tinha me cagado todo.

E antes disso eu já estava abalado porque tinha presenciado um acidente de moto BEM DO MEU LADO. O motoqueiro passou como uma flecha no cruzamento e bateu num carro... o FDP ainda levantou para reclamar com o cara do carro, é mole?! Se sou eu o motorista do carro... dava uma ré e passava por cima dele para terminar o serviço. 



Mas graças a Deus cheguei bem... bem atrasado! hahahaha